domingo, 13 de agosto de 2017

Epígrafes odepóricas

.

Gosto demais de epígrafes, aquelas citações que servem de bandeira ao texto principal. Houve uma época em que eu copiava as que me agradavam, achando que um dia eu as aproveitaria em algum escrito meu, o que de fato já aconteceu em algumas ocasiões.

Hoje decidi mudar uns livros de lugar e como sempre acontece, o trabalho foi interrompido diversas vezes porque ao abrir os livros para arejar as páginas, sempre dava uma olhadinha na obra, em uma anotação, uma passagem grifada... Acabei não concluindo a tarefa a que me havia proposto, mas não foi tempo perdido: tive a ideia de escrever esse post, transcrevendo algumas epígrafes da minha coleção de literatura odepórica.

Nas citações abaixo você encontra primeiro o autor da epígrafe e entre parênteses a obra e o autor que dela fez uso.

Entretanto, antes das citações, gostaria de reproduzir os agradecimentos, com cara de epígrafes, que a autora de Um ano de viagens, Frances Mayes, fez em sua obra e que me surpreendeu pela inovação. Veja que sacada boa a dela:


Ao casal de pé no meio da estrada ao lado do seu trailer desconjuntado.
À mãe e ao filho de dois anos nos assentos 42A e B durante a nona hora de voo.
À família de seis pessoas atravessando a Europa num Deux Chaveaux e cantando “Abençoado os Laços que unem”.
À garotinha aos berros no chão da trattoria às onze horas da noite.
A K.A.T., que disse: “Bom, agora já fui e não preciso ir mais”.
Ao conjunto novo de calcinha e sutiã amarelos que ficou secando na borda da banheira dom hotel.
Ao capitão mergulhando nas algas ondulantes atrás da máscara de mergulho que caiu.
À mala que foi para a Índia.
A T.A., que não conseguiu abrir a porta do trem e seguiu até Castiglion Fiorentino.
Ao homem do sul mancando por Pienza e gritando para a mulher: “Já vi tudo que queria ver.”
Ao personagem descrito por Novalis, que partiu para encontrar uma flor azul vista num sonho.
A Edward – com você eu vou.


Tudo considerado, existem apenas dois tipos de homens no mundo - os que ficam em casa e os que não ficam. Os segundos são os mais interessantes. Rudyard Kipling (De carona com Buda, by Will Ferguson)
Em relação a outras pessoas, nós somos peregrinos que, por caminhos mais diversos e com grande dificuldade, nos dirigimos ao encontro mútuo. Antoine de Saint-Exupéry (Minhas viagens com Heródoto, by Ryszard Kapuscinski)
Nada é tão duradouro quanto a mudança; nada é tão constante quanto a morte. Cada batida do coração nos abre uma ferida; e não fosse a poesia, a vida seria um eterno sangrar. É a poesia que nos concede o que a natureza só nos sabe negar: aqueles anos dourados que o tempo não azinhavra, uma primavera que não cessa de florescer, um destino desanuviado e a juventude eterna. Ludwig Börne (Viagem ao Harz, by Heinrich Heine)


Sempre chegamos ao sítio aonde nos esperam. (A viagem do elefante, by José Saramago)
Não se pode adivinhar nem prever as condições que produzem a felicidade; apenas tropeçamos nelas por acaso, num momento de sorte, em algum lugar, no fim do mundo, e nos agarramos a elas para sempre... Willa Cather (A arte da peregrinação, by Phil Cousineau)
Muito já se escreveu sobre viagens, muito menos da estrada. Edward Thomas

Meus olhos estavam em meus pés... Nan Shepherd, The Living Mountain.
(The Old Ways, a journey on Foot, by Robert Macfarlane)


Camarada, dou-lhe minha mão! Dou-lhe o meu amor, mais precioso que o mel,
Dou-lhe eu mesmo, para além de rezas ou leis; você se dará para mim? Viajará comigo? Devemos ficar um com o outro enquanto vivermos? Walt Whitman (On the road, by Jack Kerouac)
Se procurarmos os nossos anseios além do nosso quintal, é porque eles nunca foram nossos. Dorothy, O mágico de Oz (A arte da quietude, by Pico Iyer)
É melhor viajar cheio de esperanças do que chegar. Provérbio japonês. (Wabi-sabi, by Francesc  Miralles)

Querido Deus, agora consigo enxergar, porque não consigo outras vezes, que és tu que amo na beleza do mundo e em todas as lindas moças e os queridos amigos, e que peregrinos é o que somos, viajantes numa jornada, e não porcos, nem anjos. Walker Percy. (Caminhos Sagrados, by Nicholas Shrady)
Somos imortais apenas durante um determinado período. (A estrada da cura, by Neil Peart)
No fundo, creio que a Terra é circular,
Por uma única boa razão...
Depois de dar a volta nesse mundão
Tudo o que se quer é voltar para o lar.
Orelsan (A extraordinária viagem do faquir que ficou preso em um armário Ikea, by Romain Puértolas)

Os homens encenam tragédias porque não acreditam na realidade da tragédia que de fato está se desenrolando no mundo civilizado. José Ortega y Gasset (No ar rarefeito, by Jon Krakauer)
Você não conseguiria descobrir as fronteiras da alma, mesmo que tivesse viajado todas as estradas com esse propósito; tal é a profundidade do seu significado. Herácleto de Éfeso (Soul, An Archaelogy by Phil Cousineau)


Os passos que [uma pessoa] dá desde o dia em que nasce até a morte traçam no tempo uma figura inconcebível (...). Esta figura (talvez) tenha sua função determinada na economia do universo. Jorge Luís Borges (Nos Caminhos da Glória, by Eleonor Munro)
Somente Deus conhece o caminho, só Ele sabe onde está a sabedoria porque a Sua vista alcança os lugares mais distantes do mundo. (Via Láctea, by Guy Veloso)

Se você teve a sorte de viver em Paris, quando jovem, sua presença continuará a acompanhá-lo pelo resto da vida, onde quer que você esteja, porque Paris é uma festa móvel. (Paris é uma festa, by Ernest Hemingway)
Um homem não é nada quando não é o produto de sua terra. Anatole France (Jornadas em Portugal, by Antero de Figueiredo)