domingo, 13 de fevereiro de 2011

Viagem de Sonho, by Gregorio Marañón

.Painting: Time Travel, by Steve Hester
Encontrei no meio de um livro um pedaço de papel amarelado, datado de 1991, com o pensamento de um famoso médico e humanista espanhol chamado Gregorio Marañón.

Fui procurar sobre ele na web e não encontrei muita coisa além do que se pode ler na Wikipedia. Descobri que foi uma grande pessoa, bom de cabeça, bom de coração, exemplar em seu ofício na medicina. Dizem que foi um homem muito generoso e figura entre as grandes personalidades da Espanha, tanto que em Madrid existe uma estação de metrô que leva o seu nome, além de um hospital, vias públicas e instituições educativas.

Parece que viajou bastante. Em 1922 visitou, acompanhado do Rei Alfonso XIII, a região mais miserável da Extremadura, conhecida como Las Hurdes. Como resultado dessa viagem, feita a pé e a cavalo, a região teve imediata melhorias sociais e viu desaparecer uma série de enfermidades endêmicas. Dessa incursão nasceu a obra Viaje a Las Hurdes (El manuscrito inedito de Gregorio Marañón y las fotografias de la visita de Alfonso XIII), publicada em 1993 pela El País y Aguilar.

Sobre essa região quase mítica da Espanha, "marcada por toda clase de estigmas, reales o imaginarios: analfabetismo y salvajismo, pobreza e inopia, paludismo, tuberculosis, alcoholismo, histeria, incesto, poligamia, sodomía, tifus, tiña, viruela, tracoma, sífilis, bocio y cretinismo" indico a leitura do texto em espanhol no site etnografo.com que vale muito a pena conhecer.

Daí que me passou pela cabeça, se o Gregorio Marañón foi capaz de largar a comodidade dos laboratórios médicos, das salas de aula, para ir conhecer in loco essa região tida como o "Tibet hispânico" é porque o homem realmente foi alguém especial. Um mahatma espanhol.

Mais tarde, no final dos anos 1930, veio para as bandas de cá, visitou vários países da América do Sul, incluindo duas passagens pelo Brasil. Seria interessante saber o propósito dessas viagens, vou procurar alguma coisa depois quando sobrar um tempo. Por hora, deixo abaixo o belo pensamento de Dom Gregorio, que no papel amarelado que tenho em mãos leva o título de Viagem de Sonho. Namastê!

Não conseguimos falar em duas direções ao mesmo tempo, mas o que transforma a vida numa coisa agradável é podermos chegar ao destino seguindo por caminhos diferentes.

A arte e a ciência conduzem ao mesmo objetivo: a verdade. O que interessa mais é a viagem. O caminho é aquilo que faz dos dias um entretenimento e das noites um prazer.

A meta é sempre um sonho e talvez a verdadeira meta seja nunca alcançá-la.

Nenhum comentário :

Postar um comentário