terça-feira, 11 de maio de 2010

O olhar dos viajantes: edição especial da Revista História Viva

.

Esse post vai interessar àqueles (as) que realmente gostam de literatura de viagem e história. A Editora Duetto lançou recentemente duas edições especiais da Revista História Viva intituladas O olhar dos viajantes: o país descrito por exploradores, cientistas e artistas desde o século XVI. Leitura recomendadíssima.

O vol 1, O Brasil ao Natural, enfatiza a visão dos estrangeiros no que concerne à beleza e exuberância de nossas paisagens tropicais, mostrando como os antigos viajantes registraram suas impressões sobre o Novo Mundo. No texto introdutório, escrito por Jean Marcel Carvalho França (organizador das edições), lemos o seguinte:

“Esta primeira edição é dedicada ao modo como os visitantes estrangeiros descreveram os contornos geográficos,a fauna, a flora, os tipos físicos, enfim, os aspectos relacionados à natureza dos trópicos. Dentro desse universo, os temas são variados: as heranças medievais presentes nas cenas naturais construídas nas narrativas de viagem do século XVI e início do XVII; as características do clima, da flora e da fauna brasileiros contidas nos relatos feitos entre os séculos XVI e XIX; a perspectiva da vida natural dos trópicos legada pelos viajantes luso-brasileiros do século XVIII; as especificidades das viagens de Spix, Martius, Denis, Debret, Liais e Agassiz; os impactos da natureza tropical construída nas narrativas de viagem sobre a história escrita no Brasil do século XIX; e, ainda, a construção de um tipo físico brasileiro, nomeadamente um negro, pelo renomado escultor francês Louis Rochet, um apaixonado por culturas ‘exóticas’.”

Não lhe parece mesmo muito interessante? E o vol. 2, O Brasil e sua gente, consegue ser tão bacana quanto o primeiro volume. Nele você aprenderá um pouco mais sobre o papel das narrativas de viagem na construção da nossa imagem e identidade. É assim que o professor Jean França introduz o volume 2:

“Neste segundo volume das edições especiais de História Viva dedicadas ao Brasil dos relatos de viagem, o leitor é convidado a perceber pequenos, mas importantes fragmentos dessa multiplicidade; a conhecer, por exemplo, a dinâmica das cidades brasileiras coloniais – especialmente Bahia e Rio de Janeiro – segundo o prisma do europeu ou, ainda, a sua perspectiva dos ‘hábitos de civilidade’ dos brasileiros dos Setecentos e dos Oitocentos. (...) Há também ensaios que analisam os pressupostos culturais subjacentes ás descrições dos brasileiros produzidas pelos europeus; a imagem que os relatos constroem dos negros livres e cativos que habitavam as cidades e campos brasileiros; a relação dos políticos locais com as nem sempre simpáticas opiniões sobre o país emitidas pelos estrangeiros; e, escapando um pouco á hegemonia o olhar do Velho Mundo sobre o Novo Mundo, algumas notas acerca da perspectiva que alguns representantes do mundo árabe e do continente americano – notadamente, um uruguaio – legaram das terras tropicais habitadas pelos portugueses e por seus descendentes.”





Aqui em Sampa as revistas ainda estão nas bancas, cada uma valendo R$13,90. Se você se interessou mas não conseguiu comprá-las em sua cidade, tente o site da revista Historia Viva.

Para ir mais longe: Entrevista com o professor Jean Marcel França, o da camiseta azul aí abaixo, clicando bem aqui.









2 comentários :

  1. descobri vc no DEIXA SAIR, da sonia hirsch. gostei da coluna da esquerda e vou te passar outra do patativa do assaré q gosto muito,muito, muito:"quem viaja acompanhado encurta mais o caminho. tudo q no mundo existe se achando sozinho é triste!" . volto mais tarde p conhecer melhor teu blog!

    ResponderExcluir
  2. Salve, rosamaria! Obrigado pela visita e pelo presente (já está guardadinho aí na coluna ao lado...). Saludos, paulocésare.

    ResponderExcluir