quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Nova Era, by Luiz Carlos Lisboa

.


Um post diferente para abrir o mês de outubro aqui no Odepórica. Hoje vou trazer a você, leitor/a, alguns pensamentos de um escritor que eu admiro muito e acredito que poucas pessoas devam conhecer. Pois não sabem o que estão perdendo, por isso anotem esse nome: Luiz Carlos Lisboa. Conheci o trabalho desse fantástico escritor e poeta nos anos 80 do século passado, e de uma maneira muito prazerosa: através de um programa chamado “Música da Nova Era”, que era transmitido pela Rádio Eldorado aqui de São Paulo, apresentado por Mirna Grzich, jornalista e locutora e dona de uma das vozes mais lindas que já ouvi na vida.

Devo dizer que sou um verdadeiro órfão desse programa, que era apresentado todos os domingos das 22 às 23 horas. Cheguei a ter uma coleção de fitas k7 com as gravações de muitos daqueles programas, fitas que eram passadas de mãos em mãos entre os amigos do colégio que também estavam sintonizados com a egrégora zen do programa, de suas músicas e, desconfio, igualmente apaixonados pela voz silfídica de Mirna, que nos fazia viajar, viajar, viajar... uma sensação única.

O programa contava com a grande sapiência de Mirna nesse universo New Age (como costumávamos falar naquela época); tendo vivido alguns anos na Califórnia (nada mais propício), Mirna estava por dentro de tudo o que estava acontecendo no mundo dentro daquele contexto, digamos, “espiritual”, principalmente no tocante à música, à literatura, concertos, além de indicar palestras e workshops de temas ligados ao universo do programa. Foi Mirna quem nos introduziu (não tínhamos internet naquela época) o som viajante de artistas excepcionais como Steve Roach, Dead Can Dance, David Darling, Constance Demby, Kitaro, Deuter, Carlos Nakai, Paul Horn, Steven Halpern, Tangerine Dream.... Era bom para a cuca, era bom para a alma também. O bacana então, era que entre uma música e outra, Mirna “declamava” os textos de Luiz Carlos Lisboa, sempre muito simples, sempre muito zen, sempre muito tocantes. O lance foi tão marcante, que do programa saiu um livro, foríssimo de catálogo mas fácil de encontrar em sebos. Leva o nome do programa, claro, Nova Era, e sempre que eu encontro um por aí, compro e dou de presente, porque acho um crime ver essa preciosidade tomando pó em sebo.

Tudo bem, posso estar exagerando um pouco, mas sempre ajo assim quando falo de algo que me encanta, como é o caso desse livro. Escolhi poucos trechos dessa vez, e apenas aqueles que têm alguma mensagem relacionada ao ato de viajar. Confira, e depois se puder, ouça-os na íntegra. Como dizia a saudosa Mirna depois de apresentar as canções que iriam ao ar: Boa Viagem!




“A idéia de peregrinação parece tão antiga quanto a primeira idéia religiosa do homem - tendo talvez a idade do próprio homem. Peregrinar é andar numa direção, fazendo do meio o fim, do percurso a chegada, da busca da graça o próprio encontro com a Graça. Diz um provérbio antigo que o bom peregrino é aquele que já chegou, antes mesmo de partir.”

“O encanto das viagens não está nas mudanças de cenário, ou na fuga à vida de todo dia, mas nas descobertas que se sucedem no espírito. Se a viagem externa - aquela que nos leva de um lugar a outro no mapa - não se fizer acompanhar de uma viagem interior, o cavaleiro estará vivendo talvez, no seu percurso, a mesma experiência de sua montaria.”

“Entre dois caminhos semelhantes, deixo que meus pés façam a escolha. Permitir que o coração ou a cabeça interfiram é pensar que a vontade é onipotente. De um modo misterioso, meus pés sabem mais sobre os caminhos do mundo do que meus pensamentos, porque o corpo tem uma sabedoria que a consciência não possui. Por isso, prefiro ser escolhido a escolher, com o amor de quem não sabe porque ama.”

“O caminho de casa tem tudo para ser o mais conhecido, e no entanto é o que menos conhecemos. De tanto percorre-lo distraidamente, não o vemos mais como de fato é, com suas cores e formas, seus sons e perfumes. É assim também que agimos com aqueles que dizemos amar: eles estão próximos, com a sua verdade, mas nós estamos cegos pelo hábito de viver.”

“De volta a casa, não estamos de volta à rotina enquanto tivermos na alma o gosto da aventura do viajante. O prazer de falar costuma ser maior e mais comum que o prazer de ouvir – e no entanto, quando por algum motivo precisamos ficar calados, descobrimos que quase tudo que dizemos é perfeitamente dispensável e despido de importância. A experiência de reduzir ao mínimo a própria fala pode mostrar resultados surpreendentes – em nosso íntimo e fora de nós. Ainda assim, são poucos os que se aventuram ao silêncio, como são raros os que ousam caminhar na sua direção.”

“O sonho de viajar inquieta o espírito do homem quando o essencial em sua vida já foi assegurado. Logo que o alimento, a casa e o repouso foram conquistados, o ser humano volta seus olhos para lugares distantes – que um dia ele viu em sonho ou conheceu de passagem. Aos poucos, vai sendo tecido um paraíso imaginário, que uma vez alcançado oferece todos os seus encantos. Mais difícil será descobrir, talvez, que há um paraíso aqui, que há um estado de serenidade perfeita agora, para quem abre as portas do coração.”

“Um grande pensador do nosso tempo disse uma vez que todo homem pode conhecer, dentro de sua casa, tudo aquilo que vale a pena conhecer. A beleza, o amor, o sentido da dor e da morte, a inocência e a culpa – cada pessoa, cada objeto, cada quarto contém o que o mundo lá fora possui. E se alguém deseja viajar por muitos lugares para aprender, talvez fosse bom lembrar antes que quem não vê o mundo inteiro no seu quarto, ou na pessoa a seu lado, não o vê em parte alguma, por mais que procure. A revelação dessa verdade simples pode ser o começo de uma grande mudança.”

“O desejo humano de viajar, de percorrer terras e de conhecer continentes, pode levar ao prazer ou ao desencanto, conforme atenda ou não aos nossos sonhos. Mas onde pode ir um homem sem levar consigo tudo o que de fato é, e tudo o que se acostumou a desejar? A verdadeira viagem, a que conserva as paisagens mas modifica o homem, é talvez a única que não deve ser adiada. Nela, o viajante é mais importante do que as terras que percorre, e a partir dela todos os caminhos têm um encanto novo – mesmo os que levam de uma rua a outra, na cidade em que se vive.”

“Um dia podemos descobrir que toda viagem é, de algum modo, uma peregrinação em busca de um lugar que é o coração do viajante. Seu destino final é sua realidade interior, mas faz parte do ritual a busca em lugares distantes, onde seu coração sempre vai, desejoso de um encontro que nem sempre acontece.”

Leia: NOVA ERA, de Luiz Carlos Lisboa, com seleta de textos do Programa “Música da Nova Era”. Apresentação e discografia essencial de Mirna A. Grzich. Livraria Cultura Editora: São Paulo. 2ª edição. 1989.

Se você se interessou em ouvir os textos originais de Luiz Carlos Lisboa na voz maravilhosa de Mirna Grizich acesse os links abaixo. Agradeço a Arly Cravo por nos disponibilizar essa raridade via You Tube. Namastê!



Parte II


25 comentários :

  1. Caro Luis,

    Há anos admiro seus escritos. Gostaria de lhe enviar um jornal eletrônico via e-mail que faço. Chamasse Volta ao Mundo em 8 Segundos. Estou lendo sua introdução para o Fuguras Hieroglificas do Flamel. Como sempre um estilo incrível.(Beto Palaio)

    ResponderExcluir
  2. Oi César,
    O próximo exemplar que vc encontrar no sebo, pode reservar para mim. Beijocas

    ResponderExcluir
  3. Salve, Beto!
    Creio que houve um engano aqui... na verdade o que você leu foi um post meu sobre o livro do Luiz Carlos Lisboa. Fico lhe devendo o email do autor, mas acho que não deve ser muito difícil de encontrar na net. Boa sorte! p.césare

    ResponderExcluir
  4. Oi Pá! Pode deixar, o próximo exemplar que eu encontrar será seu! (sabia que vc ia pedir...)Beijin, pc

    ResponderExcluir
  5. Olá P. Césare. Assim como você, eu contemplava o "Música da nova era" e era delicioso onde quer que você estivesse, poder ouvir a maravilhosa voz da Mirna Grzich e os belíssimos textos de Luiz Carlos Lisboa.
    Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  6. Salve, Atilas! Vejo que encontrei mais um "órfão" do programa, não? Estava mais do que na hora de Mirna voltar, quem sabe se a gente fizer um pensamento positivo bem grandOM ela não aparece! Saludos, p.césare

    ResponderExcluir
  7. Robson Luís da Silva15 de abril de 2010 05:04

    Olá! Também sou um grande fã do programa "Música da Nova Era", que ouvia no final dos anos 80 na rádio Globo FM (RJ). Programa fantástico e único, de qualidade inquestionável, que mudou minha maneira de ouvir e pensar sobre música. Momentos realmente mágicos nos finais de domingo. Depois de muita procura achei o livro "Nova Era", também em um sebo (juntando poeira). Obra rara. E as sugestões musicais, no final do livro, são maravilhosas. Abraços a todos e, para quem já conseguiu (ou ainda vai conseguir) um exemplar do livro, repito as palavras da Mirna: "Boa viagem...".

    ResponderExcluir
  8. Robson Luís da Silva15 de abril de 2010 05:36

    Obrigado pelos links, P.Césare! Valeu mesmo. Me trouxe muita emoção ouvir novamente a Mirna recitando os textos. Excelente! Uma pergunta: vc teria (ou sabe se alguém tem) as gravações dos programas inteiros (com as músicas, vinhetas, apresentação das músicas e até mesmo comerciais*)? * O programa era tão bom que me lembro que até os comerciais tinham ótima música. Agradeço desde já e parabéns pelo artigo sobre o "Música da Nova Era" e sobre a Mirna Grzich. Abraços a todos e muita paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Robson, veja meu post mais abaixo.

      Abraço.

      Excluir
    2. Olá, Fernando. Só hoje (15/03) que resolvi entrar aqui nesta pg. de novo, e vi seu post. Muito legal. Tenho interesse nas gravações do programa. Você teria como fazer cópias? Ou digitalizá-las com qualidade? Claro que a intenção seria adquirir estas cópias, a um preço justo. Não sei se haveria, de sua parte, facilidade e disponibilidade para tal, mas o interesse permanece. É só me avisar, e podemos combinar: charliebravo8@gmail.com . Grande abraço.

      Excluir
  9. Salve, Robson! Mais um fã do Nova Era, não? Que legal, não sabia que o programa também era apresentado no Rio. Olha, infelizmente eu não tenho mais as tais fitas K7 com as gravações, acabaram se perdendo com o tempo... não sei se você sabe, houve um período em que a Mirna lançou uma revista chamada Nova Era Meditação, depois Planeta Meditação (da revista Planeta) que era um desbunde, a primeira faixa sempre com um exercício de mentalização, pensamentos no mesmo estilo do programa. As músicas selecionadas pela Mirna eram aquelas mesmas que ouvíamos na rádio, ou seja, maravilhosas. Eu doei a minha coleção há alguns anos para uma comunidade espiritualista,mas se vc procurar, acaba achando os cds e às vezes as revistas nos sebos, na seção de New age. Se souber de alguém quetiver a gravação do programa eu te dou um alô, ok? Abraço peregrino, paulo césare.

    ResponderExcluir
  10. Então beleza, Paulo. Obrigado pela pronta resposta. Quanto às coleções que você citou, já as conhecia desde a época em que foram lançadas. Como sempre, um trabalho de primeira qualidade o da Mirna. Ainda quando ao programa "Música da Nova Era", eu o conheci pela Globo FM do Rio. Cuirosamente, logo após a saída do ar (em meados de 1991), o programa começou a ser transmitido pela rádio Jornal do Brasil AM! E o "M.N.E." era tão incrível que, mesmo com a qualidade de som ruim (característica das transmissões AM), eu ainda acompanhei diversos programas pelo rádio naquela época. Abraços e obrigado. Se alguém tiver materiais gravados do programa, é só entrar em contato pelo meu email: charliebravo8@gmail.com . Abraços a todos!

    ResponderExcluir
  11. Robson Luís da Silva16 de abril de 2010 11:37

    Oops... acabei me identificando como anônimo (acima). Esqueci de preencher o formulário corretamente. Agora estou me identificando: Robson Luís da Silva. Abraços!

    ResponderExcluir
  12. Paulo,
    Eu me idenditifiquei totalmente com seu post. Saudades dos programas da Mirna Grzich!! Sem dúvida mais uma fã.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  13. Pois é, Maria Luiza, está mais do que na hora da Mirna voltar à ativa, não? Valeu a visita! AbraçOM, paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece até que era eu escrevendo aqui neste blog. Eu fiquei fã de Mirna ouvindo o MUSICA DA NOVA ERA pela Eldorado. Fui no lançamento do Livro NOVA ERA do Luiz Carlos Lisboa com a presença da Mirna lá no MIS. Anos depois, ao criar com meu sobrinho Dennys nossa própria Rádio Web ClassFM ( www.classfm.com.br ) fomos propor à Mirna apresentar os programas NEW CLASS e NEW CLASS ESPECIAL - ambos na linha da New Age e World Music... mas infelizmente ela já estava totalmente absorvida por outros projetos e não pode aceitar nosso convite. Assim, nosso colega RON THOMAS faz a apresentação dos programas, de 00 às 02h da manhã - diariamente. E aqui confesso: UMA HOMENAGEM À MIRNA!!!

      Excluir
  14. Ler seu post foi para mim uma viagem no tempo.
    Meu programa dos domingos à noite no final dos 80 e inicio dos 90 era ouvir o "Música da Nova Era".
    Gravava, como vc, em K7 todos os programas.
    Adorava ouvir a voz da Mirna declamando os lindos e inspirados textos do Luiz Carlos Lisboa.
    Tenho o livro e o guardo com carinho e zelo.
    Valeu!
    Quando puder, visite meu blog: http://pactopoetico.blogspot.com/.
    abs
    Sandra

    ResponderExcluir
  15. Olá, Sandra Q! (inspirada na Suzie?). Fui lá no seu blog, uma delícia de ler seus poemas, quisera eu ter a mesma inspiração!
    Apareça! Saludos, pc

    ResponderExcluir
  16. e-mail do LCL:
    llisboa@aol.com

    ResponderExcluir
  17. Olá PC, muito legal conhecer seu blog. Eu como muitos, sou orfão do programa Música da Nova Era da Mirna Grizich. Era muito gratificante aguardar o domingo a noite para escutar as músicas New Age e ouvir os textos do Luis Carlos Lisboa, pela voz adorável da Mirna. Tenho muitas fitas k7 gravadas entre 1989 e 1991, com as vinhetas, propagandas, etc.. Ainda as ouço. Ontem mesmo ouvi várias com a minha filha de 15 anos, que como eu, também adorou a voz da Mirna e os textos do Luis. O Programa tinha o poder de recarregar nossas baterias para enfrentar mais uma semana de trabalho... Formava-se uma Egrégora,com uma onda de energia positiva para todos no planeta. Também tenho fitas com o programa ALQUIMIA do Áurio Corrá, que também seguia a mesma linha, porém sem a voz doce da Mirna. um forte abraço à você e a todos os membros..
    Fernando Paes Barreto (fernando@starview.com.br)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Fernando! Nenhum post deste blog tocou tanta gente quanto este do Nova Era - é o mais lido de todos. Será que a Mirna tem alguma a ver com isso? ; ). E você lembrou bem de algo que me escapou: o programa do Áurio Corrá, que era igualmente bom, ainda que sem o charme do outro. Aliás, tenho alguns cds do Áurio Corrá, que faz um som muito bom na linha do New Age. Vale a pena conferir. AbraçOM OM OM!

      Excluir
  18. Sou mais um órfão desse maravilhoso programa. Todos os Domingos a noite. Não perdi um sequer. Uma hora de paz, equilíbirio e conhecimento interior. Tenho várias fitas k-7 que gravei e tenho até hoje. Pena que de baixa qualidade pois moro no interior. Fazia milagres pra melhorar o som. Ótimos tempos. Ah, se tivesse como reprisá-los na Internet, para podermos eternizá-los.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem sabe se todos os órfãos do programa fizerem uma mentalização caprichada a Mirna não volta à ativa, né Michel? AbraçOM OM OM

      Excluir
  19. Música da Nova Era, Meditação, e tudo o mais, e muito mais, está tudo de volta, com Mirna Grzich! mirnagrzich.com.br

    __/\__

    ResponderExcluir